quarta-feira, março 29, 2006

Mário Viegas Total

Ontem tive uma grata notícia: através do jornal Público, vai ser dado à estampa um trabalho da autoria de José Niza que compila em 12 volumes a carreira e a vida de um dos grandes actores portugueses da segunda metade do séc. XX. Falo de Mário Viegas, que, dez anos após a sua morte, tem assim direito a uma homenagem - póstuma... - de grande valor e onde a qualidade da investigação se encontra aliada ao saber e às vivências do Homem e Músico que é José Niza. No entanto, há ainda algo mais que não deverá fazer ninguém perder esta colecção: com cada livro, surgirá um CD que recupera a discografia completa de Mário Viegas. Esta, gravada na sua quase totalidade para a etiqueta Orfeu, de Arnaldo Trindade, iniciou-se em 1969 - com o EP Mário Viegas Diz Poemas, onde o declamador é acompanhado musicalmente por Fernando Martins - e conheceu o seu derradeiro momento em 1990, com Poemas de Bibe: Grande Poesia Portuguesa Escolhida Para os Mais Pequenos - um trabalho publicado pela UPAV e co-assinado pela também actriz Manuela de Freitas. Entre um e outro, ficam recriações históricas de grandes poetas portugueses, como Daniel Filipe, Mário Cesariny, Fernando Pessoa, Almada Negreiros, Eugénio de Andrade, Manuel Alegre, António Gedeão, Alexandre O'Neill e tantos outros; e de alguns estrangeiros, como Bertolt Brecht ou Vinicius de Moraes. É de realçar que nesta colecção se compilam, também, gravações inéditas, que por razões de ordem vária não foram publicadas no seu tempo. De fora, ficaram apenas as participações em Marginal (1981), de Luís Cília, Cantos da Borda d'Água (1984), de Pedro Barroso, Lavrar em Teu Peito (1985), de Janita Salomé, e Corsária (1988), de Né Ladeiras - que, a meu ver, deveriam ter sido incluídas nesta integral - além de participações menos significativas em discos de Júlio Pereira e de Shila.

Impossível perder. Impossível passar ao lado. Mário Viegas continua vivo na sua arte de diseur e esta homenagem de José Niza e do jornal Público vem provar a todos isso mesmo.

Rifão Quotidiano

Uma nêspera
estava na cama
deitada
muito calada
a ver
o que acontecia

chegou a Velha
e disse
olha uma nêspera
e zás comeu-a

é o que acontece
às nêsperas
que ficam deitadas
caladas
a esperar
o que acontece

Mário-Henrique Leiria in "Novos Contos do Gin", Lisboa, Editorial Estampa, 1973

Etiquetas: ,


Comments:
Não sei se tem ligação à Movieplay. Pena é que não hajam mais edições que recuperem o espólio que anda perdido e que seja completado com uma contextualização sempre importante. Penso que foi no ano passado que o Público editou uma série de DVDs e CDs dedicados ao 25 de Abril. Já nessa altura recorria a edições da Movieplay, Filmes Castelo Lopes e EMI (Opera de António Pinho Vargas).
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Tem de facto ligação à Movieplay - os direitos dos discos da Orfeu pertencem-lhes actualmente. É verdade, é preciso ter em conta que uma reedição precisa de um texto que apresente a época e a história do artista em causa, e isso rareia entre nós. Uma outra excepção é a caixa recentemente editada com a (quase) integral da obra da fadista Maria Teresa de Noronha, na linha dos excelentes trabalhos a que a EMI-Valentim de Carvalho nos habituou com Luiz Goes e Carlos Paredes.

A colecção de que falas foi publicada com o Público nos 30 anos do 25 de Abril, e foi outra edição de grande valor (neste caso, especialmente pela recuperação de filmes que, em alguns casos, nem a própria Cinemateca possuía).

Abraço e obrigado pelo interesse.
 
De vez em quando era interessante um blog para alimentar este espaço. Encontrei no espaço do RCL uma imagem de umas cassetes do TC.

http://realcombolisbonense.pt/cms/inspiracao
 
O Real Combo Lisbonense é um projecto interessantíssimo, que está a projectar para o futuro o nosso riquíssimo passado musical, sem quaisquer preconceitos - finalmente!
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?